Atas

ATA Reunião de Diretoria Técnica - 04/09/2018


Por rdmilone.

Clube Excursionista Carioca
Ata de Reunião de Diretoria

Data : 04/09/2018
Local : Sede – Rua Hilário de Gouveia 71/206
Horários:
Início às 19:30
Término às 21:15
Reunião foi gravada em áudio com 1:48:15 de duração

Sócios presentes:
Frederico Campos
Marcos Linhares
Alexandre Ferreira
Rodrigo Milone
Rodrigo Rodrigues
Leandro Moda
Hamilton Kai
Wagner
Quem mais ?!!!!

Pauta sugerida e debates
Esta reunião segue a pauta da reunião de Diretoria do dia 21/08/2018:
“Ao final da reunião foi convocada uma RDT para o dia 04/09/2018 para detalhar os assuntos discutidos nesta reunião...”

1º tema – Revisão dos equipamentos do CBM e compra de novos;
Milone sugeriu a compra de equipamentos novos para os Cursos Básicos, sendo importante a atualização de alguns baudriers, comprar um rolo de cordeletes de 6mm para atualizar os dos CBM e buscar mosquetões adequados para aparelhos de rapel (ATC).
A definição sobre assunto foi: aproveitar as oportunidades que aparecem e comprar os equipamentos oferecidos com custo baixo pro CEC.

2º tema – Revisão de proteções fixas e manutenção de vias do clube;
Foi contabilizado que temos atualmente 40 chapas PinGo, 60 chumbadores e 7 grampos P.
Milone falou da proposta de reformar o LAGARTÃO e pensar em usar grampos de titânio na reforma para manter a característica da via. Fred falou do custo quase inviável de conseguir comprar uma quantidade de grampos de titânio a preço acessível no Brasil, e propôs que pensássemos no uso de grampos de inox (Collinox e outros). Ainda ressaltou que os ambientes aonde são sugerido o uso de titânio são de classe 4 e não acontecem no Brasil, sendo plenamente aceitável o uso de proteções inox 316 sendo que os modelos de chapeletas atualmente disponíveis superam os requisitos.
Fred ainda atualizou os presentes de que em reunião anterior o CEC decidiu por comprar levas de proteções mistas, 60% de chapas e 40% de grampos P, mas não foram comprados mais grampos P somente 100 chapas PinGo da Bonier. Isso leva à ideia de que o CEC deve passar a comprar proteções que tenham durabilidade comprovada (INOX ou Ti) e sem solda evitando problemas recorrentes de degradação das mesmas.
O debate segue com ponderações como:
Linhares: “O grampo você sabe que foi bem batido, ele canta...”
Fred concorda: ”O grampo fala contigo...”
Alex: “Só não podemos usar duas chapas PinGo em paradas, é m… pra rapelar”
… todos concordam…e Fred diz que ainda não escalou nas PinGo.
Ficou decidido que não compraremos mais grampos soldados, seguindo recomendação da FEMERJ e documentos internacionais.
Sobre a reforma do Lagartão depois de algum debate ficou definido que:
- Consultaremos o Jean sobre o tipo proteção que ele aceitaria
- Verificaremos valores para a compra de Collinox e/ou TitanClimb.
Linhares falou sobre a reforma de outras vias que estão com proteções velhas: Solei, Quarto Sol e Roda Viva no Babilônia são muito frequentadas e merecem atenção em breve. Alex e Leo ficaram de avaliar e reformar a C100 na próxima temporada. Ainda foi falado que os alunos do CFG podem ser convocados a ajudar para cumprir os requisitos de Guia que exige conhecimento de instalação de proteções e manutenção de vias.
OBS: Milone e Monteza participam de um fórum da FEMERJ, via WhatsApp, que recebe informações sobre vias com proteções deterioradas ou alteradas, este é o canal principal atualmente.

3º tema - Atualização do Regulamento Interno (foi debatido durante a Reunião de Diretoria -pauta anexa- e ficou para ser melhor definido durante esta RDT:
Pontos Importantes:
- o que deve entrar no Regulamento Interno
- aprovação de novos sócios escaladores
- Monitores & EATs como conciliar?
- formação de Guias
Fred mostrou que o fluxograma de aprovação de sócios escaladores ainda não foi transportado para o Regulamento Interno (RI) e deve ser referenciado e entrar num item específico. Também falou que Milone propôs uma grande reforma do RI de forma a abranger todos os procedimentos do clube. O debate com aportes do Moda, Rodrigues e Milone seguiu mostrando que o nosso RI está defasado e vários procedimentos não estão contemplados, mas que isso é um assunto extenso e não consegue ser feito numa reunião única.
Propostas (entre os minutos 35 e 40 do audio)
- criar um documento editável online referenciando outros documentos existente que estão dispersos.
- organizar o drive e colocar nomes e modelos padronizados nos documentos.
O debate seguiu com a discussão da volta da figura do Estágio de Aperfeiçoamento Técnico EATs e a modificação dos critérios para Monitoria e Guias do Clube. Fred falou que devemos adequar os nossos currículos aos documentos da FEMERJ, de Guias e Monitores. Alex ponderou que os critérios são um pouco exigentes e seria inviável que os monitores atuais conseguissem seguir os critérios FEMERJ.
Fred falou que a volta dos EATs daria uma base de pessoas para ajudar nos cursos e atividades que estamos perdendo, pois, o nosso critério de monitores estava ‘alto’.
Pontos importantes: Fred mostrou que temos uma confusão de nomenclaturas e é importante entender a hierarquia dos documentos da FEMERJ:
Monitor de Montanhismo → Guia de Caminhada → Guia de Cordada → Guia de Montanha.
Debate: Alex ressaltou que o ‘Monitor de Montanhismo’ (FEMERJ-STM-2017-06) não pode ‘guiar sem supervisão’ vias de escalada. Fred falou que isso já é uma questão interna de cada clube. Milone disse que o fato de ’guiar sob supervisão’ já é um poder concedido por fazer parte do corpo de sócios do CEC, aonde as atividades e os sócios já são supervisionados constantemente. A frase polêmica é “...monitor de montanhismo é aquele capaz de auxiliar nas excursões em ambiente de montanha, guiadas pelos guias voluntários...”
Linhares, Moda, Rodrigues, Milone, Alex e Fred debatem questões entre os minutos 42” e 1’35”.
Fred fez a proposta definitiva conforme o seguinte (1’23”):
- Guia do CEC é Guia de Montanha da FEMERJ SMT/3;
- Monitor de Caminhada passaria a ser chamado de Guia de Caminhada;
- Monitor de Escalada passaria a ser chamado de Guia de Escalada ou Guia de Escalada;
- A nossa figura de monitor seria descontinuada e teremos os EATs (monitor de atividades) cumprindo esta função, com os nossos critérios. (Obs rdmilone: pensando bem seria equivalente ao Monitor de Montanhismo da FEMERJ).
- Os EATs (Estágio de Aperfeiçoamento Técnico) vai ser constituído pelos sócios que estão pretendendo se formar guias e participar da evolução. Poderão participar do EAT sócios por indicação, mérito, convite ou solicitação da própria pessoa.
Linhares argumentou que os guias e monitores devem estar comprometidos com as atividades do clube ajudando nos cursos, abrindo excursões, podendo pensar em um estágio de aprovação para os futuros guias. Fred complementou dizendo que seria uma boa forma complementar o currículo com uma tabela de benefícios e obrigações dos guias do clube. Linhares colocou também que algumas atividades deveriam ser planejadas e obrigatórias para o nosso Corpo de Guias, como: orientação, resgate, primeiros socorros, etc… Tudo isso seria uma forma de valorizar quem tem interesse em ajudar o clube.
Ao final da reunião falou-se sobre o Curso de Formação de Guias que seria a forma de dar treinamento aos atuais sócios e suporte para a evolução técnica e também a evolução dentro das nossas categorias. Assim os nossos sócios teriam como cumprir horas necessárias de aula teórica e complementas as suas competências. O Alexandre Ferreira e o Silvio Arnaut são os coordenadores deste curso.
As propostas do nosso CFG seriam:
que deveria ser feito de forma continuada
começar a fazer em convênio com o CERJ e outros clubes, facilitando o cumprimento do currículo para os guias. Cada atividade realizada em outro clube valeria para apresentação do currículo.
as passagens de categoria seriam feitas com apresentação de um currículo nos modelos do formulário de apresentação de currículo (modelo no drive).
teria um tempo para que todos se adequassem.

O Wagner pontuou que existem guias experientes e uma grande dificuldade de que os atuais monitores ou sócios mais experientes consigam fazer as vias mais difíceis. Que isso seria importante para a evolução dos atuais sócios. Linhares contribuiu dizendo que estes lapsos de gerações são realmente difíceis de sanar. Antigamente existiam excursões obrigatórias da temporada, tipo, DDDeus, Gallotti, caminhadas fortes.
Ao final da reunião decidimos que podemos abrir um Google Form (ou questionário tipo sim e não) para que voluntariamente os sócios monitores preencham e tenhamos um padrão para redefinir as nomenclaturas. Com isso definiremos as carências do nosso grupos de sócios, verificamos os interessados em evoluir e ajudar. Isso pode ser trabalhado com uma interação maior pelas aulas do CFG.

Final da RDT.

Ata da Reunião de Diretoria Técnica


Por rafael.

Reunião de Diretoria Técnica (RDT), realizada no dia 28 de fevereiro de 2011, no Pavão Azul, tendo início por volta das 20:30, organizada pelo presente Diretor Técnico, Rafael Rossi.

Compareceram: Pablo Golobovante, Patrícia Duffles, Hamilton Kai, Fred Campos, Fernando Correa, Gustavo Soares e Rafael Rossi.

Os temas abordados e as decisões tomadas estão descritas abaixo:

1- Sobre o preço do CBM - conforme já havia sido previamente acordado, o preço do CBM do ano de 2011 ficou em R$ 450, ou em 2 vezes de R$ 240.

2- Devido à falta da ata da RDT realizada por volta de Março de 2010, alguns assuntos tratados naquela ocasião ficaram sem registro. Para contornar esse problema, a presente ata registra de forma retroativa que: 2a) Fred Campos e Fernando Correa foram nomeados como EATs do clube em Março de 2010; 2b) a escalada da Agulhinha da Gávea durante o CBM será realizada com a solteira feita somente com a corda, conforme detalhado no documento de Padronização de Procedimentos do CBM 2010.

3- Sobre os aparelhos de segurança - foi decida uma nova política para o uso dos aparelhos de segurança durante o CBM. O ATC será o aparelho oficial utilizado em todas as aulas do CBM, exceto no Campo Escola (CE) do Grajaú. Neste CE, os alunos usarão o freio em 8. O objetivo é que os alunos tenham contato com este equipamento, que ainda é encontrado em lojas e utilizado nas paredes do Rio. Evitando assim que o aluno desconheça totalmente o uso e aplicação deste freio após o término do curso.

4- O documento de Padronização de Procedimentos do CBM de 2011 foi repassado.

5- Sobre o número de vagas no CBM - a redução do número de vagas no CBM não foi acatada. Foram mantidas as 15 vagas no CBM, uma decisão inteiramente a favor do clube. Foi discutido sobre a dificuldade nos últimos CBMs de se achar instrutores para as aulas e a ocorrência de cordadas de 3 em CBMs. Considerou-se que a redução de 15 para 10 alunos contribuiria ainda mais para a redução do clube. Acreditamos que esse ano conseguiremos um maior comprometimento dos guias e nos propusemos a trabalhar para tal.

6- Sobre grampos de inox - foi decidido que durante o CBM nenhuma escalada deverá ser realizada em as vias com proteções em aço inox e paradas simples. Exemplo, a via Azul, nos Coloridos, não deverá ser utilizada. Em vias com proteções mista, o guia não deverá nunca fazer uma parada em grampo simples de inox.

7- Sobre o cronograma do CBM: 7a) foi decida que a aula de Fundamentos e Técnicas de Escalada será realizada na sede do clube, durante a semana, após os CEs. 7b) ficou decidido que o CE do Grajaú deverá ser realizado antes do CE de Itacoatiara

8- Sobre atividades em Campos Escola (CEs): 8a) no CE do Grajaú, as vias de grau maior que IV deverão ser evitadas, dando prioridade às vias fáceis e ênfase nos rappeis. 8b) em um dos CE, sugere-se como atividade opcional um rappel, ou uma demonstração de rappel, utilizando o nó UIAA.

9- Fred Campos propôs fazer uma aula opcional para os alunos do CBM, ao final do curso, sobre nocões de escalada em alta montanha.

10- Patrícia Duffles será a coordenadora do CBM 2011

Nada mais havendo para ser tratado, a reunião foi encerrada às 22:00 e todos os participantes concordaram com os itens supracitados.

Ata da Reunião da Diretoria


Por gustavosoares.

Ata da reunião da diretoria realizada no dia 21/09/2010.

Sócios presentes (em ordem alfabética):

1 – Fernando Correa

2 – Fred Campos

3 – Guilherme Fonsenca

4 – Gustavo Soares

5 – Hamilton Kai

6 – Manuel Guto Pimenta

7 – Marie Poulin

8 – Pablo Golobovante

9 – Rafael Rossi

Assuntos discutidos:

1)     O primeiro assunto levantado pelo Guilherme foi a falta de engajamento dos novos sócios, recém saídos do CBM. Mas o Pablo lembrou que esse é um problema recorrente: em média, a cada CBM, apenas dois alunos permanecem freqüentando o clube.

2)     A frequência na Reunião Social também está baixa. O que é possível fazer para aumentá-la?

  1. O Pablo é da opinião que, com as facilidades trazidas pelo celular e a internet, as pessoas estão combinando as escaladas por fora.
  2. Ao que parece, a principal razão para as pessoas irem ao clube, portanto, é conversar. Nesse sentido, eventos periódicos parecem ser uma forma de chamar os sócios.
  3. No entanto, a experiência com o “Volta Wal” mostrou que um evento que se repete todo mês começa bem, mas acaba perdendo a força.
  4. A sugestão, então, é fazer uma programação com eventos variados.
  5. O Gustavo ficou de programar a exibição do filme sobre a excursão para Itabira, com data ainda a ser definida.
3)     O Fred ficou responsável pelo back up dos arquivos do computador do clube.

4)     Em relação ao CBM desse ano:

  1. O Guilherme considerou que o CBM desse ano foi desorganizado. As críticas levantadas foram:
    1. i.      alunos escolhendo guias;
    2. ii.      locais de encontro para as atividades mal definidos;
    3. iii.      faltou uma avaliação do curso pelos alunos;
    4. iv.      faltaram relatórios dos coordenadores pós-atividades.
  2. Algo que também fez falta foi uma reunião de padronização de procedimentos. A sugestão é programar para, pouco antes do próximo curso, uma invasão para os guias treinarem procedimentos.
5)     É preciso acertar os endereços dos blogs antigo e novo.

6)     Imposto de renda: com a nova legislação, é necessária a contratação de um contador e fazer uma ata para trocar e registrar o responsável fiscal em cartório. Segundo o Pablo, é necessário levantar o histórico das atas. O Guto ficou responsável por resolver esse problema.

7)     O Rafael ficou responsável por fazer uma lista de material para o próximo CBM. A discussão do inventário ficou para a próxima RD.

8)     O Fernando Correa dará um apoio à Gricel na confecção das carteirinhas.

9)     A Cecília substituirá a Isabelle e será a responsável pelas contas do bar.

10) Pablo e Guto ficaram de ajudar o Hamilton no abastecimento do bar.

11) Manutenção da sede:

  1. o Guilherme ficou responsável para resolver o problema dos tacos;
  2. o Hamilton ficou de falar com o Charão sobre o conserto da geladeira nova: ela apresentou problemas, mas está na garantia;
  3. o Fred vai tentar resolver o problema da descarga do banheiro;
  4. o Fred também vai emprestar ao clube um crash pad;
  5. o Guto irá fazer um mobili com as botas velhas.

Ata da Reunião de Diretoria


Por guilherme.

No dia 14 de abril teve reunião de diretoria (aberta a todos os sócios!) no CEC. A ata completa estará disponível em breve em www.carioca.org.br/ata/RD201004.pdf. Alguns dos itens decididos foram:

  • O informativo será confeccionado bimestralmente, alimentado pelos assuntos do blog do clube. Haverá também um newsletter mensal, com as principais notícias do blog.
  • O ranking será reativado e toda prancheta vale 1 ponto. A premiação será mensal na primeira quinta-feira de cada mês, na forma de crédito no bar no valor de R$10,00. Também vai ter uma premiação anual para o sócio que alcançar o maior número de premiações mensais.
  • Aqueles cujo débito no bar ultrapassar a quantia de R$10,00, não mais poderão consumir até que regularizem sua situação.
  • Por fim , decidiu-se alterar o valor da mensalidade do clube, bem como as promoções para pagamentos adiantados, onde passam a valer R$18,00 (1 mês) , R$45,00 (3 meses = 2,5 mensalidades) e R$135,00 (anuidade = 7,5 mensalidades).